domingo, 26 de abril de 2009

HOTÉIS - Paraíso

O primeiro hotel que minha família frequentou foi o Silva, hoje Paraíso, e para alegria dos preservacionistas, ele continua com a mesma aparência, salvo as alterações normais, impostas pelos modismos humanos.

Antonio da Costa e Silva, nasceu em 1885 em Portugal, e aos 15 anos fugiu para o Brasil, em busca do Eldorado existente do outro lado do oceano. Lutou, trabalhou e prosperou no Rio de Janeiro. Casou, teve 3 filhos, mas a esposa faleceu muito cedo, deixando-o com os filhos bem pequenos para cuidar. Talvez por essa tristeza toda, Antonio ficou muito doente. O médico aconselhou-o a fazer uso das águas minerais e ele resolveu passar algum tempo em São Lourenço, deixando os filhos aos cuidados de uma irmã.

Hospedou-se no Hotel São Lourenço e, em pouco tempo, Antonio recuperou a saúde.
Izar , filha dos proprietários tocou seu coração e, algum tempo depois, em 1919, casaram-se. Em 1922 construíram o Hotel Silva, um dos primeiros da cidade. Em 1945 Antonio faleceu, tendo conseguido realizar seu ideal de conhecer novas terras e nelas deixar a marca do seu trabalho.

Na foto, Izar e Antonio, certamente na varanda do Hotel Silva.

No Acervo da Casa da Cultura encontrei essa preciosidade : a propaganda do Hotel Silva, recentemente construído !
Muitos hóspedes, e o charmoso carro antigo, na calçada da rua de chão.
Carnaval no Hotel Silva. Foliões fantasiados e muita serpentina enfeitando a grade no teto da varanda.
O sempre-lembrado Hotel Silva, atualmente é o Hotel Paraíso, e possui agradável área de lazer com piscina e jardins.
A varanda, com o atual piso de ardósia, mantém as mesmas grades no teto. Comparem com a foto do carnaval.

Para quem admira História, como eu, o Hotel Paraíso é um refrigério e um alento. É poder, ainda, conhecer pessoalmente um pedaço da história inicial de São Lourenço. Visitar o hotel que foi construído por Antonio e Izar, em 1922, é voltar à década de 1920 e imaginar como seria viver em tempos tão antigos. Com um pouquinho de imaginação dá até para ouvir, por exemplo, Teu cabelo Não Nega (Castro Barbosa), Com Que Roupa (Noel Rosa), ou Tahi (Carmen Miranda), sucessos do Carnaval de 1930...

"Rendemos nossas homenagens aos atuais proprietários que nada mudaram na arquitetura antiga. Sensibilidade que merece aplauso !" (Teresinha Villela)

(As informações sobre o Hotel Paraíso foram retiradas do livro Nossa gente, nosso orgulho, de Teresinha Villela, e as fotos antigas podem ser admiradas no Acervo da Casa da Cultura)

4 comentários:

  1. Muito interessante a história deste hotel. Bom saber que os proprietários procuraram conservar a arquitetura, que certamente valoriza o hotel e a cidade. É pena que hoje ele se encontre cercado por dois feiosos esqueletos de concreto em franco apodrecimento.

    H.G.M.

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo, H.G.M.

    Quando mudei para SL, ainda existia o abandonado hotel Metro, e um exótico e romântico casarão, em frente ao Hotel Paraíso.
    Construções são demolidas, muitas vezes, sem razão lógica, pois põe-se no chão o que já existe, e não se constroi nada no lugar. Um triste exemplo disso é aquela bela casa que existia na Antonio Junqueira de Souza, onde existiu um restaurante chamado Casarão, e hoje, só existem as ruínas no chão.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde. Essa informações sobre o Sr. Antônio Costa e Silva foram obtidas onde? Sou bisneto dele e precisava descobrir seu local de nascimento exato (não apenas Portugal). Mas as informações da família de perderam...

    ResponderExcluir
  4. Oi, Agenor, as informações foram obtidas em livros que falam sobre São Lourenço.

    "Antonio da Costa e Silva nasceu em Guimarães, Portugal, a 9 de janeiro de 1885", como está no livro
    "Nossa Gente, Nosso Orgulho, de Teresinha Maria Silveira Villela".

    Outro livro:
    -Os Pioneiros do Progresso de São Lourenço - da Fundação Municipal de Cultura.

    Espero que seja útil para você.
    Obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir

RECEBER SUA VISITA É MUITO BOM !
LER SEU COMENTÁRIO, É MELHOR AINDA !!!